sábado, 30 de junho de 2012

SEMINÁRIO - LEI DOS COMPROMISSOS E DOS PAGAMENTOS EM ATRASO

Local: Guarda - Auditório do NERGA

Horário:
09h00 - 12h30 e 14h00 - 17h30

Objectivos:
Dotar os participantes com conhecimentos teórico-práticos relativamente à Lei dos Compromissos e dos Pagamentos em Atraso (LCPA), na aplicação aos Municípios e às Entidades Públicas Reclassificadas.

Destinatários:
Eleitos locais, dirigentes, gestores ou responsáveis técnicos e colaboradores envolvidos na área financeira e contabilística dos Municípios e da Entidades Públicas Reclassificadas.
Mais Informações:
Contate-nos via e-mail para formacao@prorating.pt ou visite a nossa página www.prorating.pt

Crianças: tudo o que devem saber sobre dinheiro

Educar para a importância de poupar e gerir dinheiro é o objectivo da reflexão da revista «Times». Conheça os conselhos a reter para crianças com 3, 5 e 9 anos


Nunca é cedo para ensinar às crianças o valor do dinheiro. A conclusão é da revista «Times», que informa os pais sobre as maneiras mais correctas de educar as crianças para o bom uso do dinheiro nas idades de 3, 5, 9 e 13 anos.

Nunca é cedo, mas demasiado cedo também não é saudável - trocar as leituras na hora de dormir por sebentas de economia não é definitivamente a solução. De acordo com a «Times», o mesmo seria dar às crianças um livro de piratas; de economia continuariam a perceber «zero».

Alguns pontos-chave

Aos três anos,a criança deve saber identificar as moedas e as notas. Por volta dos cinco anos, deve perceber o que o dinheiro vale e o que pode adquirir com cada quantia.

Aos nove anos, a criança deve ser capaz de relacionar o que até aí aprendeu, com as etiquetas de preços e compreender a política de transacção de uma loja.

Para facilitar a apreensão dos processos de compra e venda aconselha-se a experiência: monte uma bancada de limonada ou ajude a criança a fazer objectos de artesanato,para depois vender aos membros da família.

No entanto, ajudar os seus filhos nestes pequenos negócios só, não chega. De acordo com a revista, se não ensinar como deve gerir o que ganhou,a aprendizagem não valerá de nada.

Aos nove anos, é ainda aconselhável que a criança já receba uma semanada.

Não sabe quanto dinheiro lhe deve confiar?
O correcto será dar-lhe cerca de metade da sua idade em euros. Ou seja, se a criança tiver 10 anos, dê-lhe cinco euros por semana.

Aproveite o dinheiro que recebe pelo aniversário e dê-lhe mais uma lição

Enquanto trata dos bolos e dos enfeites para a festa de aniversário do seu filho, trate também de colocar de parte três frascos vazios com etiquetas diferentes.

Depois da brincadeira, vem a lição - o dinheiro que a criança recebe de familiares e amigos, servirá para educá-lo financeiramente.

No primeiro frasco que separou, peça-lhe para depositar 60% do dinheiro, com destino a gastos imediatos. Reserve o segundo frasco para despesas específicas ou objectivos a longo prazo, como por exemplo, uma viagem ou uma ida a um parque temático e peça-lhe para aí depositar 30% do total ganho. Por último, no terceiro frasco, peça-lhe para colocar os restantes 10%, que servirão causas beneficentes.

Depois, não destine no que gastar, exija sim, que efectue os gastos de acordo com os fins estabelecidos nas etiquetas dos frascos.

De acordo com Kelly Campbell, especialista em finanças pessoais, este exercício vai ajudar a criança a perceber a diferença entre despesas de curto e longo prazo e, logo, a saber poupar.

«Costumo falar com clientes que são muito poupados. Inevitavelmente, isto acontece porque os pais lhes ensinaram, desde cedo, a economizar», disse à «Times».

Aos 13 anos esvazie os frascos

Aos 13 anos, o adolescente, que até aí foi ensinado a reconhecer os custos e a poupar, deve ser capaz de pesquisar produtos concorrentes, comparar preços e tomar decisões acertadas sobre a melhor opção de compra.

Ensiná-los a levantar, depositar e acompanhar o rumo do dinheiro de um cartão e ajudá-los a criar orçamentos de gastos pessoais, são alguns dos passos que se aconselham nesta fase da adolescência.

Dinheiro virtual

Os cartões de crédito não devem ser tabu. Aos 13 anos, o seu filho deve saber a diferença entre um cartão de crédito e um cartão multibanco. As explicações devem ser curtas e demonstrativas. Como? Sempre que tiver um extrato de um cartão de crédito, mostre-lhe os juros que advêm dos pagamentos ou explique o significado de plafond.

Deposite dinheiro e confiança

Abrir-lhe uma conta pode abrir portas à maturidade económica. Pode depositar dinheiro semanalmente, de forma a controlar os gastos, e não desespere se por uma vez, o dinheiro desaparecer num ápice. Mais uma vez o lema é não controlar no que o seu filho gasta, mas se gasta nos objectivos que traçou.

in Agência Financeira

Parapente e Asa Delta em Manteigas


Portugal Open Manteigas Serra da Estrela



7 a 12 de Julho - Campeonato Nacional

Organizador > Clube de Voo Livre Vertical
Modalidade >
Competição de Parapente - FAI Cat 2
Director Prova > Victor Baía
Local >
Manteigas, Azinha, Vale da Amoreira

Praça Velha e Fio da Memória com novas edições

Nutrition Awards distingue empreendedorismo no setor agroalimentar


Encontram-se abertas até 31 de julho as candidaturas à 3ª edição dos Nutrition Awards, uma iniciativa da Associação Portuguesa de Nutricionistas e da GCI, que tem como objectivo destacar boas práticas de inovação no sector agroalimentar, e que conta este ano com a parceria do IAPMEI.
Distinguir o empreendedorismo, a valorização da produção nacional e a promoção de hábitos de vida saudáveis, premiando a inovação e o mérito científico associados à área da nutrição, é o lema da iniciativa, que apresenta nesta 3ª edição novidades em termos de categorias e de parceiros institucionais.

Mais informações em: http://www.iapmei.pt/iapmei-not-02.php?noticia_id=984

Gás e electricidade aumentam a partir de Domingo

Empresas e famílias vão, a partir de Domingo, ver as suas facturas de gás e electricidade agravadas, altura em que entram em vigor os novos aumentos das tarifas.
A atualização de preços definida pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) e decorrente dos compromissos assumidos pelo Governo junto da 'troika' (Fundo Monetário Internacional Comissão Europeia e Banco Central Europeu), com vista à liberalização do mercado do gás e da eletricidade, tem como objetivo
'obrigar' os consumidores a escolher um fornecedor em regime de mercado livre.
Assim, a partir de 01 de julho, as famílias consumidoras de gás natural verão a sua tarifa regulada aumentada em 6,9 por cento, um valor que vigorará até 31 de dezembro, altura em que a ERSE anunciará um outro aumento, desta vez uma tarifa transitória, tendo em vista o mercado liberalizado. A partir dessa data, haverá revisão de tarifas transitórias de três em três meses.
Dentro deste aumento de 6,9 por cento para os domésticos estão os clientes com consumo anual inferior ou igual a 500 metros cúbicos, ou seja, a maioria dos pequenos consumidores.

in Económico com Lusa  

Subsídio exige menos descontos a desempregados depois de Abril

Prestação também pode abranger quem ficou desempregado antes de Abril, mas dura menos.

A partir da próxima semana, o subsídio de desemprego vai chegar a mais pessoas, já que a prestação estará acessível a desempregados que trabalharam (e descontaram) entre 12 e 15 meses. Tal como o Diário Económico noticiou hoje, esta medida produz efeitos a partir de 1 de Julho e também abrange actuais desempregados. No entanto, quem perdeu o emprego há mais de 90 dias pode contar com um subsídio mais curto. E a prestação fica mesmo vedada a quem perdeu o emprego há vários meses, dependendo da idade do beneficiário.
Mas vamos por partes. A partir de Julho, os desempregados que trabalharam e descontaram para a Segurança Social por um período que varia entre 360 e 450 dias (nos últimos dois anos antes do desemprego) também podem pedir o subsídio. Até aqui, isto só era possível nos casos de descontos superiores a 450 dias (15 meses). Quer isto dizer que há uma redução no chamado "prazo de garantia".
Por outro lado, os desempregados têm sempre 90 dias para pedir a prestação, que deve ser precedida de inscrição no centro de emprego. Portanto, a partir de segunda-feira, um desempregado que cumpra este novo prazo de garantia e que tenha perdido o emprego nos 90 dias anteriores (a partir do início de Abril) poderá aceder normalmente ao subsídio. Se o pedido for feito já no final de Julho, por exemplo, é preciso contabilizar 90 dias para trás, o que aponta para situações de desemprego registadas no final de Abril.
Mas a lei também indica que o subsídio pode ser pedido fora dos 90 dias, desde que isso ocorra durante o período legal de atribuição desta prestação. Mas quando isto acontece, os dias do "atraso" são descontados no tempo de subsídio a que o trabalhador teria direito. Ou seja, quem perdeu o emprego antes de 3 de Abril - e apresente o requerimento de subsídio no dia 2 de Julho - poderá contar com uma prestação mais curta. E se tiver perdido o emprego há vários meses, pode nem sequer ter direito a subsídio.

Subsídio dura entre cinco e nove meses
Este novo grupo de desempregados que terá acesso, a partir de agora, ao subsídio, pode receber a prestação durante um período que varia entre cinco e nove meses. Beneficiários com menos de 30 anos têm direito a protecção durante cinco meses. Se tiverem entre 30 e 40 anos, a duração do subsídio sobe para seis meses. Já quem conta entre 40 e 50 anos receberá subsídio durante sete meses e, nos restantes casos, o período de atribuição é de nove meses.
Uma vez que o novo prazo de garantia aponta para descontos entre um ano e 15 meses, é natural que afecte sobretudo os mais jovens, com carreiras mais curtas. Olhando para um jovem até aos 30 anos, que trabalhou entre 12 e 15 meses, este só terá direito a cinco meses de subsídio se tiver perdido o emprego nos 90 dias prévios ao pedido da prestação. Se tiver perdido antes, é preciso descontar o atraso no prazo de atribuição.
Ao Diário Económico, fonte do Ministério da Solidariedade e da Segurança Social explica que "é aplicável o novo prazo de garantia a situações de desemprego ocorridas antes de 1 de Julho, cujo requerimento de prestações de desemprego seja entregue após aquela data, desde que na data em que for apresentado o requerimento se encontre cumprido o novo prazo de garantia", ou seja, pelo menos 12 meses. Mas acrescenta que "como a lei permite que o requerimento possa ser apresentado depois de decorridos 90 dias após a data do desemprego, ocorrerão situações de desemprego verificadas antes de 2 de Abril que ainda poderão beneficiar do novo prazo de garantia, com redução do período de concessão em função do número de dias de atraso verificado".

Novo prazo de garantia coincide com novas regras
Esta redução do prazo de garantia faz parte das novas regras do subsídio de desemprego, que entraram em vigor em Abril. No entanto, este ponto específico ficou para mais tarde, produzindo efeitos apenas em Julho. Mas esta data de produção de efeitos acaba por abranger todos aqueles que perderam o emprego a partir de Abril (ou seja, na entrada em vigor das novas regras) tendo em conta que os pedidos de subsídio podem ser feitos em 90 dias. Quem perdeu o emprego antes, receberá o subsídio por menos tempo (em comparação com situações de desemprego mais recentes) mas importa recordar que, até aqui, nenhum trabalhador com apenas 12, 13 ou 14 meses de descontos tinha direito a subsídio. Aliás, esta é uma das poucas regras mais vantajosas, para os desempregados, deste novo regime.

Cristina Oliveira da Silva  
In Diário Económico

Formação Co-financiada

Comunicação empresarial - presencial e telefónica (STAAE ZC/CEFOSAP)


Curso Co-Financiado

Código UFCD

0633

População Alvo

Nível 4 – Ensino secundário obtido por percursos de dupla certificação ou ensino secundário vocacionado para prosseguimento de estudos de nível superior acrescido de estágio profissional-mínimo de 6 meses
Duração: 50 horas
Início: 2012-11-05
Fim: 2012-11-30

Desejo Inscrever-me

 

 

 

 

 

 

Recursos humanos - processos de recrutamento, selecção e admissão (STAAE ZC/CEFOSAP)


Curso Co-Financiado

Código UFCD

0677

População Alvo

Nível 4 – Ensino secundário obtido por percursos de dupla certificação ou ensino secundário vocacionado para prosseguimento de estudos de nível superior acrescido de estágio profissional-mínimo de 6 meses
Duração: 25 horas
Início: 2012-10-08
Fim: 2012-10-19

Desejo Inscrever-me

 

 

 

 

 

 

Controlo de riscos profissionais (STAAE ZC/CEFOSAP)


Curso Co-Financiado

Código UFCD

3786

População Alvo

Nível 4 – Ensino secundário obtido por percursos de dupla certificação ou ensino secundário vocacionado para prosseguimento de estudos de nível superior acrescido de estágio profissional-mínimo de 6 meses



Duração: 50 horas
Início: 2012-10-08
Fim: 2012-11-02

Desejo Inscrever-me





















Alojamento a estudantes em troca de apoio a idosos

A vontade de ajudar e de ser ajudado mobilizou estudantes e idosos de Coimbra numa nova solidariedade intergeracional, que a Associação Académica vê como feliz entreajuda em tempos de crise.
Estudantes da Universidade de Coimbra (UC) recebem alojamento gratuito na casa de idosas e convivem com elas, acompanham-nas ao médico, tratam-lhes de burocracias e até controlam a toma dos remédios.
O projecto Lado a Lado foi criado pela Associação Académica de Coimbra (AAC), em parceria com a associação católica Centro de Acolhimento João Paulo II, para ajudar estudantes com dificuldades em prosseguir os estudos e minimizar a solidão de alguns idosos da cidade.

Ensino: Ano letivo 2012/2013 começa entre 10 e 14 de setembro

Lisboa, 29 jun (Lusa) - O ano letivo 2012/2013 inicia-se entre 10 e 14 de setembro, para os ensinos pré-escolar, básico e secundário, segundo um despacho do Ministério da Educação e Ciência hoje divulgado.
De acordo com o diploma, divulgado pelo ministério e que aguarda publicação em Diário da República para entrar em vigor, o 1.º período letivo terminará a 14 de dezembro, enquanto o 2.º decorrerá entre 03 de janeiro e 15 de março, começando o 3.º a 02 de abril.
As pausas letivas ocorrerão de 17 de dezembro a 02 de janeiro (época do Natal e Ano Novo), de 11 a 13 de fevereiro (Carnaval) e de 18 de março a 01 de abril (Páscoa).

Alunos vão poder escolher cursos mais práticos logo no 5º ano

Ministério da Educação antecipa início do ensino vocacional. Medida está a ser regulamentada.


O Ministério da Educação e da Ciência quer criar uma nova oferta de estudos, com disciplinas mais práticas, logo a partir do 2º ciclo do ensino básico - ou seja do 5º ano de escolaridade.
O objetivo é assegurar que os alunos tenham acesso a diferentes alternativas, incluindo vias que "que preparem os jovens para a vida, dotando-os de ferramentas que lhes permitam enfrentar os desafios do mercado de trabalho". Estes novos "cursos de ensino vocacional" poderão ser frequentados por opção do aluno ou por sugestão da escola, mas sempre com o acordo dos pais.

 
Isabel Leiria (www.expresso.pt)

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Festival Mun'Danças 2012

O Mun'Danças é um festival de dança e música contemporâneas com ligações às tradições portuguesas e de outras partes do mundo. Realiza-se em dois locais, na Praia Fluvial Torres do Mondego (Coimbra), entre 26 e 29 de Julho, e na Praia Fluvial de Aldeia Viçosa (Guarda), entre 1 e 4 de Agosto.

Mais informação em: http://mundancasfestival.com/index.php/pt/

Turismo de Portugal distinguiu H2otel - Congress & Medical Spa




Fonte: Martifer
O Turismo de Portugal distinguiu os projetos turísticos que mais contribuíram para o desenvolvimento e prestígio do setor em 2011.


http://www.turismo.guarda.pt/actualidade/noticias/Paginas/turismo-de-portugal-distinguiu-h2otel-congress-medical-spa.aspx

Portagens - isenções prolongadas por mais três meses

As isenções parciais das portagens para os concelhos servidos pelas antigas SCUT, que deveriam terminar no sábado, vão prolongar-se por mais três meses, sendo depois aplicado um regime de descontos, anunciou hoje o Governo.
«O Governo decidiu prolongar, por um período adicional de três meses, a aplicação do regime de discriminação positiva, tal como vigora actualmente, às auto-estradas ex-SCUT que deveria terminar a 30 de Junho de 2012», refere um comunicado hoje divulgado pelo Ministério da Economia e do Emprego.
A nota adianta que, «após este período, será aprovado e aplicado um regime de descontos e/ou taxas nestas vias que obedeça a critérios de aplicação e montante que estejam em conformidade com o disposto na legislação europeia e que garanta e salvaguarde que, da aplicação do regime de cobrança de taxas de portagens, não resulte a discriminação dos utilizadores destas auto-estradas».
A tutela recorda que «o regime de discriminação positiva actualmente praticado nestas vias não é consentâneo com os princípios estabelecidos pela Comissão Europeia - Directiva Eurovinheta», que «impõe que as portagens devem ser aplicadas sem discriminação directa ou indirecta, por razões associadas à nacionalidade do utilizador, ou que, ainda que não estejam expressamente relacionadas com a nacionalidade, conduzam de facto, através da aplicação de outros critérios de distinção, ao mesmo resultado».
No comunicado, o ministério diz que «é este o caso do critério da residência na área de influência das auto-estradas ex-SCUT que fundamenta, precisamente, a atribuição das respectivas isenções e descontos».
«Com vista à validação dos níveis de flexibilidade do Governo no que toca ao regime de discriminação positiva, foi recolhida e analisada uma série de informação disponibilizada pela Estradas de Portugal, bem como mantidos vários contactos com elementos da Direcção-geral da Mobilidade e dos Transportes da Comissão Europeia, que estarão na base do regime de descontos e/ou taxas a aplicar às auto-estradas ex-SCUT a partir de Outubro de 2012», refere.
Em todo o país existem actualmente sete concessões que antes estavam abrangidas pelo regime Sem Custos para o Utilizador (SCUT).
As populações e empresas locais com residência ou sede na área de influência destas auto-estradas, que passaram a ser portajadas, beneficiaram até agora de um sistema misto de isenções e de descontos nas taxas.
Esse regime contempla a isenção do pagamento de taxas de portagem nas primeiras 10 viagens mensais efectuadas na respectiva auto-estrada e no desconto de 15 por cento no valor das taxas de portagem nas restantes viagens.
Neste processo eram consideradas como «populações e empresas locais a abranger pelo regime de discriminação positiva» aquelas com residência ou sede na área de influência da SCUT.
Nas áreas metropolitanas com maior densidade de oferta de infra-estruturas, casos das SCUT Norte Litoral, Grande Porto e Costa de Prata, a área de influência corresponde aos concelhos em que uma qualquer parte do seu território «fique a menos de 10 quilómetros da via».
Fora das áreas metropolitanas - correspondente às SCUT Interior Norte, Beiras Litoral e Alta, Beira Interior e Algarve, portajadas apenas em Dezembro de 2011 - integram este regime os concelhos inseridos numa nomenclatura de unidade territorial (NUT) III em que uma qualquer parte do território «fique a menos de 20 quilómetros da via».
As isenções nas antigas SCUT deveriam acabar no sábado nas regiões com um índice de poder de compra acima de 80 por cento da média do PIB per capita nacional, segundo avançou à Lusa, em Abril, fonte da Estradas de Portugal.
A informação tinha por base a resolução do Conselho de Ministros de 22 de setembro de 2010, que instituiu a aplicação de portagens nas SCUT.
«A partir de 1 de Julho de 2012, a aplicação do regime de discriminação positiva manter-se-á apenas nas ex-SCUT que sirvam regiões mais desfavorecidas, tendo em conta o índice de disparidade do Produto Interno Bruto (PIB) per capita regional, nomeadamente nas regiões que registem menos de 80 por cento da média do PIB per capita nacional», explicou na altura a fonte.
Em Dezembro de 2011, segundo dados oficiais, estavam em vigor 336.460 isenções para circulação na A28, A29, A41 e A42 (na região Norte), A22 (Algarve) e A23, A24 e A25 (Centro).
Os últimos valores de tráfego nestas vias, relativos ao primeiro trimestre de 2012, apontam para quebras que ultrapassam os 45 por cento no Norte e os 56 por cento no Algarve.

in Lusa/SOL

Lei 23/2012

Publicação: Diário da República - Série I, N.º 121, de 25.06.2012, Páginas 3158 a 3169


Resumo: Procede à terceira alteração ao Código do Trabalho, aprovado pela Lei n.º 7/2009, de 12 de fevereiro


Decreto-Lei 132/2012

Publicação: Diário da República - Série I, N.º 93, de 27.06.2012, Páginas 3257 a 3270


Resumo: Estabelece o novo regime de recrutamento e mobilidade do pessoal docente dos ensinos básico e secundário e de formadores e técnicos especializados


Decreto-Lei 133/2012

Publicação: Diário da República - Série I, N.º 123, de 27.06.2012, Páginas 3270 a 3304

 
Resumo:
Altera os regimes jurídicos de proteção social nas eventualidades de doença, maternidade, paternidade e adoção e morte previstas no sistema previdencial, de encargos familiares do subsistema de proteção familiar e do rendimento social de inserção, o regime jurídico que regula a restituição de prestações indevidamente pagas e a lei da condição de recursos, no âmbito do sistema de segurança social, e o estatuto das pensões de sobrevivência e o regime jurídico de proteção social na eventualidade de maternidade, paternidade e adoção no âmbito do regime de proteção social convergente

Altera: Decreto-Lei 70/2010 de 16-06-2010

Fórum do Novo Millenium 2012

A Associação para a Formação Tecnológica e Professional da Beira Interior (AFTEBI) promove em parceria com o IPG, entre outros, no dia 5 de Julho um forum sobre cursos de Especialização Tecnologica (CET-nivel V), designado por Fórum do Novo Millenium 2012 (http://www.ipg.pt/forumnovomillenium/repositorio.asp) que decorrerá  no Auditório do Instituto Politécnico da Guarda.
Serão debatidos a Formação Pós-Secundária Não Superior, de modo:
. Refletir sobre a Génese e Evolução da Formação Pós-Secundária Não Superior em Portugal e na União Europeia;
. Discutir a diversidade da Formação Pós-Secundária Não Superior em Portugal face à tipologia de entidades (Escolas Tecnológicas e Instituições de Ensino Superior);
. Fomentar a importância da Formação Pós-Secundária Não Superior no sistema competitivo da economia portuguesa;
. Promover as Boas Práticas de empresas e as Experiências de diplomados na componente de formação em contexto de trabalho.

A inscrição é gratuita e pode ser efetuada em: http://www.ipg.pt/forumnovomillenium/inscricao.asp  Será passado um suplemento ao Diploma.

As Visitas do Espelho da Interioridade



Com um mês de vida, o Espelho da Interioridade já teve a visita de:

 

 

 

-  794 portugueses:


Guarda - 308 | Lisboa - 108 | Castelo Branco - 104 | Porto - 73 | Aveiro - 41 | Coimbra - 32 | Viseu - 22 | Braga - 15 | Vila Real - 11 | Setubal - 11 | Madeira - 11 | Faro - 8 | Portalegre - 7 | Santarem - 7 | Leiria - 5 | Açores - 4 | Evora - 4 | Braganca - 3 | Viana do Castelo - 2 | Beja - 1 | N/A - 17

- e 547 por esse mundo fora

 United States (US)437
 Belgium (BE)76
 United Kingdom (GB)10
 France (FR)9
 Brazil (BR)8
 Switzerland (CH)4
 Spain (ES)4
 Germany (DE)2
 Mozambique (MZ)2
 Angola (AO)2
 Australia (AU)2
 Finland (FI)1
 Ireland (IE)1
 Norway (NO)1
 Tunisia (TN)1
 Venezuela (VE)1
 Macau (MO)1
 Turkey (TR)1

Top 10 dos Empreendedores Sociais

O empreendedor social é uma pessoa que identifica problemas sociais e tenta resolver os mesmos utilizando principios do empreendedorismo, maximizando um retorno social ao invés de um retorno económico.

O Blog Overdrive (http://blog.eonetwork.org/) apresenta os 10 maiores empreendedores sociais até à data.

BILL DRAYTON
Foi o fundador e é, actualmente, o Presidente da Ashoka. Esta entidade tem por objectivo encontrar e apoiar empreendedores sociais pelo mundo inteiro.

MUHAMMAD YUNUS
Foi o fundador do Grameen Bank, uma instituição financeira que tem por objectivo proporcionar crédito aos mais carenciados para iniciativas empreendedoras. Em Portugal, esta função está a cargo da Associação Nacional de Direito ao Crédito.

BLAKE MYCOSKIE
Esta instituição foi fundada com o objectivo de dar a crianças carenciadas, de países sudesenvolvidos, calçado, evitando, assim, lesões provocadas pela falta do mesmo.

SCOTT HARRISON
Fundou uma instituição sem fins lucrativos que tem por objectivo levar às populações água potável.

JEFFERY HOLLENDER
Fundou a Seventh Generation, que tem por objectivo a produção de produtos de limpeza e cuidados pessoais que têm um impacto ambiental reduzido, evitando os produtos químicos. Além disso, a empresa doa 10% dos lucros antes de impostos para entidades sem fins lucrativos voltadas para a comunidade, o meio ambiente e práticas responsáveis.

AKHTAR HAMEED KHAN
Dedicou-se ao desenvolvimento das comunidades rurais do Pasquistão, com especial destaque para dois projectos, o Comilla Cooperative Project e o Orangi Pilot Project. O Comilla Cooperative Project tem por objetivo de construir infra-estruturas locais em comunidades rurais, além de ajudar as empresas a crescer através de iniciativas de microfinanças.

IBRAHIM ABOULEISH
Mudou-se para o Egipto e fundou a iniciativa Sekem (Antigo Egipto para "vitalidade do sol"). Abouleish tem por objectivo, usando quintas biodinâmicas, escolas e centros de formação profissional, um centro médico, e empresas comerciais, ajudar a "reparar" o meio ambiente e, também, a melhorar a vida dos agricultores egípcios nessas áreas.

WILLIE SMITS
Smits fundou a Borneo Orangutan Survival Foundation, que não só trabalha para ajudar macacos órfãos ou em perigo, mas também ajuda a moradores aprender métodos de agricultura sustentável e os benefícios do reflorestamento.

BUNKER ROY
Roy fundou a Barefoot College, uma organização especializada em ensinar as mulheres analfabetas de aldeias pobres como se tornar médicas, engenheiras e arquitectas.

Fonte de Informação: http://blog.eonetwork.org/2012/06/the-10-greatest-social-entrepreneurs-of-all-time/

Formação Certificada - Julho

Formação de Manicure-Oferta de Kit de Manicure

Objetivos: Pretende-se que os/as formandos/as sejam capazes de tratar, embelezar as mãos, unhas, utilizando criteriosamente os produtos e técnicas de cuidados estéticos e de bem-estar, obedecendo aos imperativos da higiene e segurança, analisar as zonas de pele e unhas a tratar, e modo a selecionar as técnicas a prestar e executar a Manicure Francesa.
INÍCIO: 6 de julho
FIM: 7 de julho
DURAÇÃO: 8 Horas
HORÁRIO: Sexta-feira das 19h30 às 22h30 e sábado das 14h às 19horas.
PREÇO: 140€ (O valor está isento de IVA ao abrigo do artigo 9º do CIVA).
PÚBLICO-ALVO: Profissionais de estética e cabeleireiro que não possuam competências técnicas nesta área de atuação;
Todos/as os/as interessados na temática e que pretendam uma nova qualificação e reintegração no mercado de trabalho;
Todos/as os/as interessados na aquisição de conhecimentos sobre manicure.

AGRICULTURA URBANA

Objetivos: No final da ação, todos/as os/as participantes deverão saber como instalam uma pequena "horta" nas suas instalações (quintal, terreno agrícola, terraço, varanda,...).
Para além da componente teórica, a ação terá uma componente prática, em que todos/as os/as participantes terão a possibilidade de fazer uma horta em casa, consoante as condições que esta ofereça.
INÍCIO: 6 de julho
FIM: 27 de julho
DURAÇÃO: 40 Horas
HORÁRIO: Sextas-feiras das 19h30 às 23h30 e sábados das 9h às 13h e das 14h às 18horas.
PREÇO: 180€ (O valor está isento de IVA ao abrigo do artigo 9º do CIVA).
PÚBLICO-ALVO: População em geral, com interesse na área

Formação Co-financiada

Contabilidade Pública (STAAE ZC/CEFOSAP)

Objetivos: Dotar os/as formandos/as de conhecimentos que lhes permitam identificar e aplicar as regras da contabilidade pública.
INÍCIO: 2 de julho
FIM: 12 de julho
DURAÇÃO: 25 Horas
HORÁRIO: Segundas, quartas e quintas-feiras das 19h às 23horas, com exceção dos últimos dois dias que será das 18h30 às 23horas.
PÚBLICO-ALVO: Todos/as os/as possuidores do 9º até ao 12º ano de escolaridade.

Ergonomia no posto de Trabalho (STAAE ZC/CEFOSAP)

Objetivos: Dotar os/as formandos/as de conhecimentos que lhes permitam aplicar as técnicas adequadas à avaliação dos riscos profissionais associados às condições de segurança e higiene no trabalho devido a fatores ergonómicos.
INÍCIO: 9 de julho
FIM: 26 de julho
DURAÇÃO: 25 Horas
HORÁRIO: De segunda a quinta-feira das 19h às 23horas, com exceção dos últimos dois dias que será das 18h às 23horas.
PÚBLICO-ALVO: Todos/as os/as possuidores do 9º até ao 12º ano de escolaridade.


Para mais informações e inscrição, consulte http://www.gestoapreciativo.pt/, ou contacte-nos pelos números 271 084 372/96 40 90 263/6

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Sugestões de Lazer

Seia
CINE-TEATRO DA CASA MUNICIPAL DA CULTURA
Dia 2 | 21h45  – OQUESTRADA


Gouveia
Teatro Cine de Gouveia
30 de JUNHO | 21h30 - Encontro de Coros


Manteigas
Trilhos pedestres
MAIS INFORMAÇÕES: http://www.manteigastrilhosverdes.com/


Fornos de Algodres
Roteiro turístico
MAIS INFORMAÇÕES: http://www.cm-fornosdealgodres.pt/turismo/roteiros/Paginas/default.aspx



Celorico da Beira
Maçal do Chão
30 de JUNHO e 1 de JULHO | 21h30 - Torneio de Sueca
MAIS INFORMAÇÕES: http://www.cm-celoricodabeira.pt/actualidade/agendadeeventos/Paginas/torneio-sueca.aspx


Guarda
30 de JUNHO e 1 de JULHO | “O ABC do Céu” curso de iniciação à Astronomia
MAIS INFORMAÇÕES: http://www.mun-guarda.pt/index.asp?idedicao=51&idseccao=625&id=2093&action=noticia


Sabugal
Contacto: 271 750 080
1 de JULHO | 08h00 - CICLOTURISMO - ROTA DOS CASTELOS


Aguiar da Beira
Contacto: desporto@cm-aguiardabeira.pt (inscrição gratuita)
1 de JULHO | 09h00 – Caminhada “Casinhas D’el Rei” – campo de futebol de dornelas


Trancoso
30 de JUNHO e 1 de JULHO | Festa da História - Bodas Reais em Trancoso


Pinhel
Pinhelíadas
Contacto: mailto:desporto.falcao.cttl.em@gmail.com
1 de julho | 7.00h  - Pesca - Barragem de Vascoveiro


Almeida
2 de JULHO | comemorações do Dia do Município
MAIS INFORMAÇÕES: http://www.cm-almeida.pt/municipio/agendadomunicipio/Paginas/FeriadoMunicipal.aspx


Mêda
Casa Municipal da Cultura
01 DE julho | 15H00 - Concerto ZETHOVEN


Vila Nova de Foz Côa
02 DE julho  - VIII Torneio Concelhio de Futsal 2012


Figueira de Castelo Rodrigo
30 de Junho a 07 de Julho | I Encontro Ibérico de Arquitetura
MAIS INFORMAÇÕES: http://www.cm-fcr.pt/cultura/eventos/Paginas/encontro-ibrico-de-arquitetura-na-aldeia-histrica-de-castelo-rodrigo.aspx

EDP vai indemnizar clientes em 4 milhões de euros

A ERSE estima em 4,1 milhões de euros as compensações a pagar pela EDP a cerca de 100 mil clientes lesados por anomalias nos contadores.

O valor foi hoje divulgado em comunicado pelo regulador energético. Em causa estão contadores incorrectamente reparametrizados e contadores com relógios imprecisos que empolaram o valor das facturas da luz com tarifa bi-horária. O primeiro caso lesou 84 mil clientes e o segundo cerca de 22.500 consumidores.
"As compensações financeiras são suportadas pelo operador da rede de distribuição" e "o pagamento das compensações é efectuado de forma automática através de crédito na factura de electricidade, sem necessidade de reclamação dos consumidores afectados", lê-se no comunicado da ERSE. "O pagamento das compensações devidas aos clientes deve ser efectuado na primeira factura a emitir após terem decorrido 30 dias sobre a data de publicação da Directiva da ERSE", informa também.
A ERSE decidiu entretanto "desencadear uma auditoria a realizar por uma entidade externa e independente para análise aprofundada das potenciais anomalias de todos os contadores multi-tarifa", sendo que "os resultados desta auditoria poderão vir a impor medidas adicionais".
Mexia desvaloriza
Questionado sobre o assunto, António Mexia, presidente executivo da EDP, disse hoje que "essa decisão [da ERSE] é totalmente compatível e está em linha com o que tínhamos anunciado".
À margem de uma apresentação sobre o novo edifício sede da EDP, Mexia considerou que "o problema está identificado e totalmente sanado", lembrando que a empresa responsável pelos contadores foi escolhida por concurso internacional e frisando que as anomalias aconteceram "numa pequena serie" dos aparelhos".

Ana Maria Gonçalves  
in Diário Económico

Receção entusiástica à Seleção - Seleção Nacional - Notícias - RTP

A nossa seleção merece, foram uns dignos vencidos.

Receção entusiástica à Seleção - Seleção Nacional - Notícias - RTP

Delphi despede 300 pessoas em Castelo Branco

Em causa está o fim do fabrico de um produto para uma marca automóvel


Delphi despede 300 pessoas em Castelo BrancoA multinacional de cablagens Delphi vai despedir cerca de 300 pessoas em Castelo Branco, nas próximas duas semanas, confirmou fonte sindical à TVI.

A informação vem justificar os receios do Sindicato das Indústrias Transformadoras (SITE) de que o maior empregador do distrito de Castelo Branco rescindisse contrato com os trabalhadores na sequência do fim do fabrico de um produto para a marca Rover.

«A Delphi é o maior empregador do distrito de Castelo Branco. Há casais que trabalham na empresa. Os despedimentos vão significar um aumento brutal do número de desempregados no distrito», disse, a 17 de junho, a sindicalista Gabriela Gonçalves à Lusa, quando manifestou a vontade do SITE para dialogar com a administração da empresa.

A maioria dos trabalhadores em causa são temporários, com contratos a termo certo.

A administração da Delphi, contactada pela Agência Financeira, não quis comentar os despedimentos: «Não comentamos ajustamentos derivados de aumentos de produção ou descréscimos de produção que sao inerentes à atividade da insdútria automóvel».

A estes despedimentos juntam-se os 400 trabalhadores da sede do serviço de atendimento da Segurança Social de Castelo Branco, noticiados na passada terça-feira,

Contas feitas, só em três dias, perto de 700 pessoas em Castelo Branco perderam o seu posto de trabalho.

Por Rita Leça com Alcina Gomes (TVI) in Agência Financeira

Novos preços de «roaming» entram em vigor no domingo - Poupança para os cidadãos pode ser de 75%

Os preços do uso do telemóvel em «roaming» na União Europeia (UE) vão descer a partir de domingo numa poupança para os cidadãos que Bruxelas estima que chegue a 75 por cento em relação aos preços de 2007.

«Este ano, os europeus vão gastar cerca de cinco mil milhões de euros em serviços de 'roaming' [preço cobrado pelas chamadas no estrangeiro], ou seja, vão poupar cerca de 15 mil milhões de euros em comparação com o que esses serviços custavam antes da entrada em vigor do primeiro regulamento da UE sobre essa matéria, em 2007», aponta a Comissão Europeia, citada pela Lusa.

Os novos preços, acordados recentemente entre o Conselho de Ministros da UE e o Parlamento Europeu, estipulam um limite de 29 cêntimos por minuto nas chamadas feitas, valor a que acresce a taxa de IVA.

Nos serviços de dados, passa a haver um limite de 70 cêntimos por megabyte.

As medidas que entram em vigor no domingo são as primeiras de uma série que visa reduzir progressivamente as tarifas máximas, acabando por conduzir a um sistema que introduzirá no mercado possibilidades de escolha, concorrência e novos acordos vantajosos em matéria de «roaming», revela Bruxelas.

Até 2014, os preços sofrerão mais cortes: o custo máximo do carregamento de dados baixará para 20 cêntimos por megabyte, mais IVA, «o que representa uma poupança de 90 por cento em relação a muitas tarifas atuais».

in  Agência Financeira

Turismo: 1,2 mil milhões deslocaram-se em lazer ou negócios na UE

Portugal entre os três países com uma maior percentagem de viagens de lazer domésticas


Cerca de 1,2 mil milhões de residentes da União Europeia (EU) deslocaram-se em 2011 em viagens de lazer ou negócios, estando Portugal entre os três países com uma maior percentagem de viagens de lazer domésticas.

De acordo com os dados publicados esta quinta-feira pelo Eurostat, depois de um forte aumento observado entre 2006 e 2008, o número de viagens dos cidadãos da UE para dentro ou fora da região têm-se mantido estáveis, apesar de uma quebra de 11 por cento nas viagens de negócios.

«Examinando as viagens de lazer e negócios separadamente, as deslocações profissionais foram mais afetadas pela crise financeira do que as de lazer», refere o Eurostat.

No conjunto dos Estados-membros, três quartos (76 por cento)
das viagens de lazer confinaram-se a destinos dentro do próprio país, enquanto 24 por cento do total tiveram como destino outros países do espaço europeu, adianta a Lusa.

Segundo os dados do gabinete de estatísticas da UE, as percentagens mais elevadas de deslocações de lazer domésticas (dentro do país de residência) observaram-se na Roménia (93 por cento), Espanha (92 por cento) e Portugal
(91 por cento).

Os portugueses realizaram, de acordo com o Eurostat, um total de 12 milhões de viagens em 2011, das quais 11,1 milhões foram direcionadas para o lazer (mais 8,0 por cento face a 2008) e as restantes 900 mil por motivos profissionais (uma quebra de 37 por cento face a 2008).

Por oposição, em cinco dos Estados-membros analisados, mais de metade das viagens de lazer efetuadas em 2011 tiveram como destino um país diferente do da origem do cidadão: Luxemburgo (com quase 100 por cento), Bélgica (74 por cento), Eslovénia (56 por cento), Holanda (52 por cento) e Áustria (50 por cento).

in Agência Financeira

AUTARQUIAS QUE AUMENTEM PAGAMENTOS EM ATRASO PODEM PAGAR MULTAS


Pro Rating, Lda.
 As autarquias beneficiárias do programa de apoio à economia local podem vir a pagar multas mensais superiores a 500 euros se aumentarem o valor dos pagamentos em atraso, segundo a Lei dos Compromissos e Pagamentos em Atraso (LCPA).

O decreto-lei que regulamenta a LPCA, publicado na quinta-feira, refere que as entidades beneficiárias... de programas de assistência económica «não podem aumentar o valor global dos pagamentos em atraso, sob pena de multa».

As multas só serão aplicadas se atingirem um valor igual a superior a 500 euros e serão mensais e progressivas, escreve a Lusa.

No primeiro mês, correspondem a 1,0 por cento do acréscimo global de pagamentos em atraso relativamente ao valor mais baixo desde a adesão ao programa.

Nos meses seguintes, essa taxa será agravada em 0,5 por cento até um limite máximo de 3,0 por cento.

Esta medida estende-se igualmente às entidades que beneficiam do programa extraordinário de regularização de dívidas ao Serviço Nacional de Saúde, até ao início dos pagamentos previstos e desde que adiram aos programas até 30 de Setembro de 2012.
"in: Agência Financeira"

O que Fazer enquanto se está Desempregado

Estar desempregado é um flagelo... Muitas pessoas encaram a situação de forma depressiva, contudo é fundamental erguer a cabeça e manter-se proactiva, ter espirito de iniciativa e determinação. Assim, apresenta-se, de seguida, 5 conselhos práticos para quando se está desempregado:

1) Manter-se atualizado
Enquanto se está à procura de emprego, é importante manter-se atualizado das tendências e novidades na área profissional/formação que se está interessado. Se não tive dinheiro para fazer um curso, pode aproveitar para ler publicações, artigos e notícias sobre a área de formação.

 
2) Voluntariado
Tornar-se voluntário numa instituição ou numa organização sem fins lucrativos tradicional que já conheça ou aceitar um estágio sem remuneração na área profissional/formação. O voluntariado ajuda a manter a pessoa fora de casa e com um propósito, além de trazer oportunidades para estabelecer contactos contactos e exercitar as competências. Os empregadores ficarão satisfeitos ao ver que se está a usar o tempo de forma útil e solidária.

 
3) Emprego temporário ou freelance
Além de ajudar nas finanças, um emprego temporário ou freelance mostra aos futuros empregadores que quem está desempregado consegues manter-se motivado e determinado, mesmo quando procura um emprego fixo.

 
4) Ensina
Muitas pessoas não pensam nessa possibilidade e perdem grandes oportunidades de crescimento e redirecionamento professional. Pode-se ser um "professor" numa escola da comunidade local ou dar explicações a estudantes do ensino básico que desejem aconselhamento de carreira ou aprofundar os conhecimentos em áreas mais específicas, como finanças e etc. Além de ser pago para isso, terá no currículo provas de capacidades de comunicação e liderança.

 
5) Cria um Blog
Escrever para um público obriga a procurar novos assuntos e a aperfeiçoar-se profissionalmente. Além disso, irá ajudar a manter o contacto com o que acontece no mundo, na área profissional/formação. O blog irá disponibilizar conteúdos com o nome do desempregado nome, e se os recrutadores fizerem uma pesquisa online com esse nome, poderão encontrar referências positivas no blog.

Fonte de Informação: Uni>ersia - http://noticias.universia.pt/destaque/noticia/2012/06/06/940343/fazer-enquanto-estiveres-desempregado.html#.T-sMI2Yj_z4.facebook

quarta-feira, 27 de junho de 2012

David Fonseca no TMG - Seasons - Rising



Dia 30 de junho, às 21h30, no grande auditório do TMG. “Seasons”, o quinto trabalho a solo de David Fonseca, é dividido em dois volumes, o primeiro “Rising”, editado em 21 de março e o segundo “Falling”, a editar a 21 de setembro.

Interior perde tribunais, magistrados e funcionários com reforma

A Guarda perde quatro tribunais, quatro juízes, cinco procuradores e 16 oficias.
 
A extinção de tribunais implicará também a perda de magistrados e funcionários judiciais em vários distritos do interior do país, de acordo com a proposta da tutela para o novo Mapa Judiciário. Os distritos de Viseu, Vila Real, Bragança e Guarda são os que mais tribunais perdem com a reforma proposta pelo Ministério da Justiça e os que sofrem simultaneamente uma redução em todas as categorias de pessoal, desde juízes a procuradores e oficiais de justiça Além dos quatro distritos do interior, apenas Aveiro acompanha a mesma redução transversal de recursos humanos, segundo os dados oficiais que constam do documento com as linhas estratégicas da reforma da organização judiciária. O documento divulgado pelo Ministério da Justiça propõe a extinção de 54 tribunais em todo o país e a redistribuição dos recursos humanos pelas novas comarcas com reduções e reforços que implicarão um excedente de 190 lugares entre aqueles que estão atualmente em funções e os necessários para a reforma. Com a extinção de nove tribunais, o Governo propõe também para Viseu uma redução de sete juízes, um procurador e 44 oficias de justiça. Vila Real perde seis tribunais, 24 oficiais de justiça, um procurador e mantém os 22 juízes. Já para Bragança está prevista a extinção de cinco tribunais com a redução de três juízes, dois procuradores e 13 oficias de justiça. A Guarda perde quatro tribunais, quatro juízes, cinco procuradores e 16 oficias. Aveiro é único distrito fora do interior com perdas em todas a categorias, juntando à extinção de um tribunal a redução de sete juízes, oito magistrados do Ministério Público e 49 oficiais de justiça. A comarca de Lisboa perde 63 juízes, 31 procuradores e 109 funcionários, enquanto que a comarca de Lisboa Norte perde cinco juízes e ganha mais 11 procuradores e 146 funcionários. A mesma situação repete-se na zona do Grande Porto com a redução de 26 juízes, 29 procuradores e 194 oficiais na comarca do Porto e um reforço de dez juízes, dez procuradores e 46 funcionários na comarca Porto Este. Apensa Castelo Branco e a Madeira apresentam reforços em todas as categorias de pessoal, com mais três juízes, dois procuradores e 10 oficiais em Castelo Branco e dois juízes, três procuradores e três oficias na Madeira. No resto do país, Beja ganha cinco oficiais e mantém o número de magistrados, Braga perde seis juízes e 27 oficiais e ganha seis procuradores, Coimbra fica com menos um juiz e mais dois procuradores e cinco oficiais. Évora tem um reforço de seis oficias de justiça, perde nove procuradores e mantém os juízes, Faro perde nove procuradores e ganha quatro juízes e 11 oficiais, Leiria perde onze juízes, ganha dois procuradores e mantém o número de oficiais. Lisboa Oeste perde cinco juízes e tem um reforço de seis procuradores e 22 funcionários, Portalegre mantém os procuradores e ganha mais três juízes e um oficial, Santarém perde um juiz, três procuradores e ganha um oficial, Setúbal fica com menos quatro juízes, menos cinco procuradores e com mais 21 oficiais. Viana do Castelo perde quatro oficiais e ganha oito juízes e um procurador e os Açores vão ter um reforço de 18 oficiais e sete juízes, mas perdem um procurador.

ULS da Guarda abre concurso para 55 médicos

A Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda abriu hoje concurso para a colocação de 55 médicos em dois hospitais e seis centros de saúde, para «aumentar a capacidade de resposta» aos utentes da região.
 
A presidente do Conselho de Administração da ULS, Ana Manso disse hoje à Lusa que «para um território como a Guarda, onde a ULS abraça 12 concelhos com uma área vastíssima e onde a população é predominantemente idosa, este reforço de médicos vai permitir-nos dar um passo de gigante na resposta à necessidade de cuidados de saúde à população». A responsável referiu ainda que, num quadro de 230 médicos a prestar serviço nos hospitais da Guarda e de Seia e em 12 centros de saúde, «contar com um reforço de 55 médicos» significa aumentar a capacidade de resposta «em mais de 20 por cento». O concurso autorizado pelo Ministério da Saúde representa também «uma lufada de ar fresco para a administração da ULS», porque vai permitir «reduzir os custos com trabalho extraordinário e aumentar a capacidade de resposta». Com as novas contratações, a ULS irá «conseguir reforçar áreas importantíssimas de apoio à população», como as especialidades de ortopedia, reumatologia e medicina física e de reabilitação, referiu Ana Manso. «Conseguiremos ainda reforçar o setor da Mulher e da Criança, um setor de especial importância para a ULS da Guarda, com a contratação de profissionais para as áreas de ginecologia, obstetrícia e pediatria», assinalou. O concurso, publicado hoje em Diário da República, contempla 45 vagas em 18 especialidades hospitalares, oito vagas de medicina geral e familiar para os centros de saúde de Guarda (uma), Seia (duas) Pinhel (uma), Sabugal (duas), Celorico da Beira (uma), Manteigas (uma) e duas vagas para a unidade de saúde pública da Guarda (centro de saúde da Guarda). Para os quadros da ULS da Guarda as vagas são em maior número para ortopedia (cinco lugares), anestesiologia e medicina interna (quatro vagas para cada especialidade), cardiologia, ginecologia e obstetrícia, medicina física e reabilitação e radiologia (três). Seguem-se cirurgia geral, dermato-venereologia, gastrenterologia, neurologia, oftalmologia, otorrinolaringologia, pediatria, pedopsiquiatria e reumatologia, com duas vagas cada e, por fim, pneumologia e psiquiatria, com um lugar.

Curso de Preparação para o Exame da OTOC (para o exame de 20/10/2012)

CURSO DE PREPARAÇÃO PARA O EXAME DA OTOC

Local
Covilhã e / ou Guarda

Objetivos:
Revisão, integração e actualização de conhecimentos adquiridos ao longo do percurso académico, com vista, designadamente, à preparação para o exame profissional de acesso à Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas.

Módulos:
Contabilidade Financeira; Contabilidade Analítica; Fiscalidade e; Ética e Deontologia.


Mais informação em:



Portagens da A23

Governo vai rever o preço das portagens na A23. A certeza foi deixada, depois de uma reunião, entre o “Movimento de empresários pela subsistência do interior” e o secretário de estado dos transportes.
Com um preço por km, de cerca de nove c...êntimos, a auto-estrada da Beira Interior é, uma das mais caras da Europa.
Preço que vai ser revisto, garante Luís Veiga.
Recorde-se que o Ministro da economia e transportes, que vai estar na Covilhã, na próxima sexta-feira, pode trazer novidades sobre esse assunto.

in: RCC - Rádio da Covilhã

PasTour - Um dia como pastor

Esta atividade integra-se no âmbito do projeto da Rede de Aldeias de Montanha.

Objectivo: preservar e valorizar o território de forma inovadora e sustentada, apostando na sua identidade como fator de diferenciação e de dinamização económica e social.

Inscrições e informações no Centro Dinamizador da Rede das Aldeias de Montanha
 Lg. Dr. António Borges Pires, 6270-494 Seia
 E-mail: centrodinamizador@aldeiasdemontanh​a.pt
 Tel.: 238 310 230

Inscrição: 25€ (limitado a 15 inscrições)

Informação obtida no site www.facebook.com/serradaestrela

Conheça os apoios para as empresas em dificuldade

Para empresas em dificuldades, há a linha PME Crescimento e a possibilidade de moratórias sobre os créditos. 
  
Portugal vive num "contexto de dificuldades de financiamento e de falta de liquidez na economia, o que impede as empresas de aumentarem a competitividade e consequentemente gera um aumento da taxa de desemprego e dificulta a recuperação da economia". O diagnóstico foi feito pelo próprio ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira.
As empresas com dificuldades de tesouraria poucas alternativas têm além de recorrer à linha PME Crescimento, com uma dotação de 1,5 mil milhões de euros. Os ‘spreads' variam entre 4,813% e 5,375%, valores inferiores aos praticados no mercado, o que ajuda a justificar o interesse das empresas nesta linha. O ministro reconheceu o sucesso da linha que já está usada em 80%, ou seja, apoiou cerca de 900 operações, num total de 1.218 milhões de euros. Por isso, Álvaro Santos Pereira já admitiu que o Executivo está a trabalhar no reforço da linha.
Outra das facilidades de que os empresários podem dispor é pedir uma moratória sobre os créditos que contraíram no âmbito das várias linhas de crédito lançadas pelo Estado.
Os dados mais recentes revelam que cerca de oito mil empresas já recorreram a esta facilidade, até Março. Ou seja, desde Outubro de 2011 até ao final de Março, já foram aprovadas 8.235 operações, que correspondem a 1,25 mil milhões de euros de empréstimos totais, que durante um ano apenas pagam juros (com um ‘spread' mais elevado) e não fazem qualquer amortização de capital.
Quando se entra no capítulo do investimento, o leque de possibilidades é mais vasto. Por um lado, há o capital de risco. No âmbito da recente reforma apresentada pelo Executivo, as empresas têm disponíveis 140 milhões de euros públicos para financiar novos projectos, sendo que 20 milhões estão reservados, só para este ano, para os projectos em fase de ignição. Existem ainda os fundos comunitários que agora, após a reprogramação estratégica que deverá ser entregue em Bruxelas até 15 de Julho, não só beneficiam de uma taxa de comparticipação superior (pode no limite ir até 85%), mas também foram realocados de modo a privilegiar mais as empresas.
Do ponto de vista fiscal, João Carlos Gomes, ‘partner' da Deloitte para incentivos fiscais, sublinha o SIFIDE II que "concede um crédito fiscal sobre as actividades de investigação e desenvolvimento realizadas, correspondente a uma taxa de 32,5% das despesas de I&D realizadas e uma taxa incremental de 50% do acréscimo das despesas realizadas, em relação à média aritmética simples dos dois exercícios anteriores".

Trabalho publicado na edição de 21 de Junho de 2012 do Diário Económico